PT EN
Quero Visitar Quero Expor

Notícias da Intermach Voltar

Índice de confiança de confiança dos executivos catarinenses volta a crescer

Publicado em 25/01/2019 - 10:25  

Thumb post image

Novos dados divulgados pelo Observatório da FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina), apontam novo aumento do ICEI (Índice de Confiança do Empresário Industrial) catarinense. O percentual passou de 67% no último mês de 2018 para 68,5% em janeiro, alta de 1,5%. No Brasil, segundo dados da CNI (Confederação Nacional da Indústria) o índice de confiança chegou a 64,7%, aumento de 0,9% no decorrer do mês. Pela avaliação da FIESC a manutenção do crescimento do índice mostra que os empresários estão confiantes, mais dispostos a contratar profissionais e a investir.

Além de ser o maior índice levantado pela série do ICEI em Santa Catarina, é o quinto mês consecutivo de aumento, com 14,8% acumulados de setembro de 2018 até janeiro. O observatório FIESC pondera que esse fato sinaliza mudanças de tendência da produção industrial, ampliando a segurança aos executivos que pretendem ampliar a produção industrial e aos que planejam investimentos, estimulando o crescimento da economia do estado.

Os números de geração de empregos em Santa Catarina também mostram um posicionamento de destaque do estado no cenário nacional. Fechou dezembro com 22.616 vagas criadas, desempenho típico para o fim de ano, em função das vagas temporárias. No acumulado de 2018, o estado figura em 3° lugar, com geração de 41.718 novos postos de trabalho. Na indústria de transformação, o estado ocupa o 2°lugar no cenário nacional com a criação de 4.911 novos postos de trabalho, atrás apenas de Minas Gerais. Destaque para os setores alimentício, madeira e mobiliário.

Considerando o desempenho de todos os meses de 2018, o destaque principal é para o setor de serviços, com 26,3 mil novos empregos e para o comércio, com 10,2 mil postos de trabalho. O desempenho positivo no setor de serviços é semelhante ao nacional, onde a variação positiva foi de 2,4%.

Fonte: Observatório FIESC e CNI